sábado, 15 de agosto de 2009

video

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

Ao longos destas últimas semanas tenho sido abordada por muitas que pessoas que moram em Benfica e neste contacto directo com os fregueses tenho ouvido suas queixas, as suas preocupações e as suas necessidades.


Muitas das pessoas com quem falei já são idosas, têm problemas de saúde e consequentemente uma despesa fixa mensal com medicamentos muito elevada, o que associado a baixos rendimentos, muitas vezes abaixo do limiar da pobreza, obriga a uma grande ginástica orçamental para conseguirem uma vida digna.

A crise que atravessamos veio agravar a sua situação e apesar dos importantes apoios sociais que o Governo tem vindo a lançar, nomeadamente o Complemento Solidário para Idosos, para pessoas com mais de 65 anos que têm um rendimento abaixo do que se considera ser o limiar da pobreza (360 euros), e da comparticipação a 100% dos medicamentos genéricos dos escalões A e B , que incluem os medicamentos mais usados e prescritos por exemplo para doenças crónicas, hipertensão ou insuficiência cardíaca, aos pensionistas com rendimentos de pensões inferiores ao salário mínimo nacional, o facto é que as pessoas estão a passar por momentos muito difíceis.

Em conversa com uma moradora do Bairro de Santa Cruz, fiquei a saber que tinha graves problemas de saúde e que a sua reforma quase não chega para pagar todos os medicamentos que tem que tomar, mas a sua grande preocupação, neste momento, é não conseguir apoiar o seu filho de 46 anos que ficou desempregado recentemente.

Aos 84 anos uma moradora na Estrada de Benfica tem dificuldade em pagar a renda da sua casa e a enorme factura da farmácia com a sua pensão de reforma, que não chega a 300 euros, e está muito apreensiva relativamente ao facto ver a sua filha desempregada e de não ter capacidade para apoiar os seus 2 netos, que já em Setembro irão iniciar o ano escolar e que vão precisar de comprar os livros e o material escolar.

Também uma Senhora do Bairro do Charquinho me contactou a fim de saber que tipo de ajuda poderia ser prestada pela Junta de Freguesia ao seu filho que por ter ficado desempregado teve que voltar a viver com ela.

Ora o que pretendemos é dar respostas as estas famílias, informa-las seus direitos e proporcionar-lhes mais e melhores apoios. Queremos apoiar as famílias na saúde retomando o programa de cuidados continuados de saúde e promovendo a abertura de mais unidades de saúde familiares, no desemprego, criando um Gabinete de Apoio ao Desempregado com informação rápida e eficaz de todos os mecanismos que existem sua disposição, criando uma Bolsa de Emprego da Freguesia, promovendo acesso a cursos de formação profissional, contribuindo desta forma para o aumento das competências individuais e apoiando os residentes desempregados na compra do passe social, por forma a obterem uma maior mobilidade para a procura de emprego, e na educação criando o Programa "Apoio dos Seniores” que consiste no apoio escolar gratuito de professores reformados aos jovens (explicações), disponibilização de salas para apoio a crianças e jovens fora do horário escolar e de salas de estudo com computadores e acesso à Internet gratuito, e colaborando com as Escolas, Professores e Associações de Pais no sentido de se apoiar e contribuir para a melhoria das infra-estruturas, nomeadamente ao nível da climatização, higiene e segurança e limpeza das escolas e jardins-de-infância.


A Freguesia de Benfica caracteriza-se por ter uma população muito idosa pelo que a uma das prioridades da Junta de Freguesia dever ser apoiar os seus seniores para lhes proporcionar um envelhecimento activo e digno. É preciso proporcionar-lhes bem estar e qualidade de vida nos seus tempos livres, proporcionar-lhes convívio, lazer e actividade física como forma de combater o sedentarismo, o isolamento e a exclusão social, promover a sua manutenção no domicilio adaptando e qualificando as suas habitações às suas necessidades de mobilidade, segurança e conforto. É fundamental que lhes seja proporcionado apoio médico e acesso a cuidados integrados de saúde, é preciso melhorar as acessibilidades e aumentar a segurança na Freguesia.


Assim construiremos uma Benfica Solidária.

Inês Drummond

Compreendemos que uma das maiores preocupações dos nossos fregueses seja a sua segurança. Com este propósito uma das medidas que pretendemos adoptar é o Protocolo Local de Segurança em colaboração com o Governo Civil.

O Protocolo tem como objectivo aprofundar a cidadania participativa com uma cultura de segurança/tolerância e, sobretudo prevenir e educar para a segurança e cidadania, em conjugação com medidas e programas inovadores de combate à exclusão e apoio ao jovens e famílias em risco, através de actividades de formação profissional, actividades desportivas e culturais.

Queremos uma nova abordagem pensada na dupla vertente de policiamento e serviço social, melhor dotada de meios, mais integrada e abrangente nos objectivos!

Queremos meios policiais mais expeditos: com mais mobilidade e melhor comunicação, atendendo ao registo de ocorrências na hora, planeando percursos, que se registem as ocorrências de violência escolar, de droga, de urgências de saúde e de alterações de comportamentos social.

Queremos fortalecer a nossa Freguesia, nomeadamente, com a colaboração entre o poder local, as forças de segurança, as associações de carácter social e as Associações de Bairro ou de Moradores.

Queremos também introduzir a figura do Guarda-nocturno motorizado, proporcionando maior vigilância nocturna, que será ainda melhor conseguida com mais e melhor iluminação nas ruas da Freguesia.

Com a colaboração de todos estes organismos e a participação activa e interessada dos fregueses em solucionar os nossos problemas de segurança, queremos uma melhor Freguesia!

Texto de Marta Rosa